Como reorganizar a alimentação quando a gente sente que “saiu dos trilhos”?

Essa é uma dúvida que sempre recebo. Ouço muito essa pergunta, então achei válido trazer algumas reflexões sobre esse assunto, que inclusive fiz recentemente, depois de um mês inteiro de “férias”.

Muitas pessoas começam a se organizar com uma alimentação mais saudável, se esforçam e até desenvolvem determinado senso de disciplina, mas voltam ao que consideram uma rotina “não organizada”. Seguem minhas dicas pontuais para voltar aos trilhos, então:

1. NÃO ADIE!

Você está à uma refeição de distância de retomar sua rotina saudável – não precisa esperar a próxima segunda-feira, o dia oficial de começar a dieta. Muitas vezes, a desorganização é simplesmente falta de clareza do que está acontecendo no momento. Isso acontece comigo também, existem dias e dias. A diferença (que vem da minha experiência por estudar e trabalhar com isso) é que sei identificar imediatamente como estou me sentindo e sei como voltar a me sentir “sob controle”.

A primeira coisa que faço é priorizar a definição das minhas metas. Definir metas significa determinar atitudes para realizar independente da minha motivação, me deixando mais próxima do meu objetivo. Então estabeleço metas diárias e metas semanais para um mês. Por exemplo: “Meta Diária – Beber 8 copos de água por dia” / “Meta Semanal – Conseguir beber 8 copos de água por dia, pelo menos 3x na semana“. Basicamente isso. Às vezes “me obrigo” a passar o dia fazendo isso. Vale muito à pena.

Definir não significa “fazer” ou “resolver” tudo. Significa que vou listar os itens necessários para chegar até o meu objetivo e decidir o que fazer com ele – algumas coisas posso resolver na hora, outras posso adiar para fazer mais tarde, no momento mais apropriado, enfim. Mas o fato de ter listado e processado todos os passos necessários me dá uma sensação de clareza e de ter tudo sob controle quase imediata, então toda vez que sinto que eu “saí dos trilhos”, é nisso que eu foco.

2. FAÇA UMA REVISÃO DO SEU SISTEMA

Minha recomendação é que você utilize uma ferramenta para organizar tudo aquilo que precisa fazer – sua famosa “lista de afazeres”: organizar a despensa, limpar a geladeira, planejar o menu semanal, lista de compras e etc. Se você não curte papel, alguns bons aplicativos para usar: Evernote, Toodledo ou Todoist.

Mas não basta organizar uma vez, ter um trabalhão para estruturar todas essas listas, se você não fizer revisão constantemente. Você deve revisar diariamente a lista de tarefas a serem feitas, e pelo menos uma vez por semana seus projetos e outros resultados maiores. Eu gosto de fazer isso todos os dias, antes de dormir. No método de produtividade que eu uso, a revisão mais recomendada é a revisão semanal, para garantir que você torne tudo claro, atualize seu sistema e seja criativa(o) com suas ideias.

Caso você sinta que saiu dos trilhos, voltar fazendo uma revisão do seu “sistema de ação” – seja ela diária ou semanal – certamente fará com que você se sinta no controle novamente.

3. ESVAZIE A MENTE

Muitas vezes, essa sensação de desorganização e falta de controle aparece porque estamos mantendo coisas demais na cabeça. Nossa mente é um “péssimo escritório”. Além de esquecermos coisas, ela não tem “separação” ou “priorização”. Manter as coisas na mente é o que faz com que a gente acorde de madrugada lembrando de algo urgente que precisa ser feito, ou nos distraia em momentos importantes pensando em todas as coisas que vai comprar no mercado quando sair do trabalho. Além disso, manter as coisas na mente a deixa sobrecarregada.

De acordo com a minha experiência comigo mesma e com meus coachees, minha recomendação é esvaziar a mente – pegar um caderno, uma folha de sulfite, ou várias, e começar a escrever tudo aquilo que estiver te preocupando (principalmente na hora de dormir). A ideia é de fato esvaziar a mente.

Nossa cabeça é como um computador: quando tem muito arquivo dentro, fica lento, trava e dá pau. Então a ideia por trás dessa técnica simples de esvaziar a mente é justamente abrir espaço para focar em aspectos mais importantes – priorizar uma atividade e conseguir ficar presente nela, como o ato de comer, por exemplo.

Mas é claro que, para esvaziar a mente, não basta passar para o papel e deixar a informação morrer ali. Em um primeiro momento, apenas escrever pode trazer paz. Mas é importante, em um segundo momento, pegar essas anotações e processá-las, esclarecê-las. Analisar item por item, descobrir o significado daquilo pra você e identificar o que é prioridade. Para cada um dos itens, pergunte-se:

  • O que é isso? (descreva para você mesma-o: é uma tarefa ou um compromisso?)
  • Demanda ação no momento?
  • Se não, jogue fora (se não puder/precisar fazer nada), arquive (se precisar armazenar essa informação) ou incube (algo que você não sabe se demanda ação no momento mas pode ser que no futuro sim – alguma ideia ou projeto que não esteja em andamento agora)
  • Se sim, faça na hora (se for rápido e levar menos de dois minutos) ou adie para fazer no melhor momento para você (aqui entra seu “sistema de ação” no Evernote, Toodledo ou Todoist).

4. DESTRALHE

A dificuldade em se reorganizar pode vir do excesso de coisas que não fazem sentido para você nesse seu momento atual. Isso vale desde objetos na sua casa, principalmente na sua despensa e geladeira, até roupas e atividades que simplesmente não estejam mais cabendo na sua vida.

Faça uma seleção sincera de tudo aquilo que você está fazendo/realizando hoje. Uma boa maneira de fazer isso é listando todas as áreas da sua vida e perguntando qual seu nível de satisfação em cada uma delas. Talvez, fazendo esse exercício, você descubra que existem algumas áreas negligenciadas em decorrência de outras que talvez você esteja dando atenção demais. Às vezes uma simples análise do seu planejamento para a semana já te traga essas conclusões – tarefas, compromissos e atividades que não precisariam mais estar ali.

Além dessa análise que é mais reflexiva, traga isso para a sua casa. Não precisa fazer de uma vez – escolha uma gaveta, uma prateleira, ou até mesmo um cômodo menor (por ex, a cozinha) e, com uma sacola, separe tudo aquilo que não deveria mais estar ali, que não tem uso, ou que você sequer gosta de manter. Não se espante se encher mais de uma sacolinha.

A ideia é trazer essa prática para o dia a dia, de modo que você identifique alimentos, roupas e objetos que não usa mais. Isso vai abrir espaço na sua casa e, internamente, te trará mais clareza sobre aquilo que você realmente considera essencial. Aos poucos, você manterá em sua vida apenas os objetos e atividades que tenham realmente a ver com você, e não coisas ou situações que manteve por inércia, por ser “mais fácil” deixar como está, que uma hora ou outra acaba nos sobrecarregando e nem entendemos por quê.

5. LIMPE ALGO FISICAMENTE

Se estiver com a cabeça cheia ou com muitos problemas, limpe a geladeira. Lave a louça. Organize a despensa. Separe roupas para doar. De alguma maneira, quando limpamos algo fisicamente, tiramos o foco dos nossos problemas e “desbloqueamos” soluções mentais. Vale a pena fazer o teste!

Se você sente que saiu dos trilhos da sua rotina alimentar e não sabe como voltar a se organizar, as dicas deste post podem servir como referência para você. Espero de verdade que sejam úteis, porque é a maneira como eu mesma me “reorganizo” quando sinto que saí dos trilhos. Ter uma rotina de alimentação saudável e uma vida organizada não significa viver de maneira organizada o tempo todo, engessada. E saber reconhecer que você talvez não esteja em um bom momento é o primeiro passo – e honesto – para voltar a se sentir bem e conseguir colocar as coisas nos eixos novamente.

AGENDE SUA CONSULTA